Com relação à administração municipal de Itapagipe, você acha que as ações da oposição:
Ajudam
Atrapalham
Não faz diferença





falecom@openhaus.com.br



07/Nov/2013 - 17:29
Vereadora Júlia apresenta mais três indicações

Facebook / Câmara Municipal de Itapagipe

Cassiano Ricardo

 

Mais três indicações assinadas pela vereadora Júlia Aleixa (PRB) no dia 05/11 foram aprovadas pela Câmara.

 

Dessa vez Júlia pediu ao prefeito municipal que interceda junto às autoridades estaduais competentes a fim de designar um agente civil (investigador) para atuar em Itapagipe.

 

A vereadora lembrou que a cidade esta crescendo, aumentando bairros e um dos preços pagos pelo desenvolvimento é o aumento da criminalidade. “São inúmeros os casos de violência que ficam sem ser desvendados, uma vez que não possuímos um investigador na cidade”, lamentou. “É preciso unirmos forças para que Itapagipe volte a ter um investigador”.

 

Lotes para entidades religiosas

Júlia também solicitou ao Executivo que sejam doados lotes para as comunidades religiosas de Itapagipe, visando a construção dos seus templos.

 

Segundo ela, existem muitas igrejas que não possuem prédio próprio e as comunidades religiosas vêm encontrando grande dificuldade de manter suas atividades, devido à impossibilidade de arcar com o custo do aluguel.

 

“Cuidar da paz espiritual evita muitas coisas, inclusive a violência”, ressaltou. “Já ajudamos a Igreja Católica, nossos parabéns, vamos ajudar agora as outras religiões”, pediu.

 

Regulamentar uso de veículos da Educação

A vereadora do PRB indicou ainda que sejam tomadas as medidas necessárias para regulamentar o uso dos veículos recebidos através do Programa Federal "Caminho da Escola", estabelecendo regras para o uso desses veículos no atendimento dos estudantes universitários.

 

“A Lei nº 12.816/2013 (que dentre outras regras, dispõe sobre o apoio da União às redes públicas de educação básica na aquisição de veículos para o transporte escolar), estabelece, no Parágrafo Único do artigo 5º, que tais veículos, além do uso na área rural, poderão ser utilizados para o transporte de estudantes da zona urbana e da educação superior, ‘conforme regulamentação a ser expedida pelos Estados, Distrito Federal e Municípios’ e desde que não haja prejuízo às finalidades de apoio da União’, informou Júlia.

 

“Desta forma, nada impede que o Município utilize esses veículos no atendimento dos estudantes da Educação Superior; todavia, isso somente será possível se houver o cumprimento da legislação através da necessária regulamentação a ser feita pelo Município”, ressalvou.