Com relação à administração municipal de Itapagipe, você acha que as ações da oposição:
Ajudam
Atrapalham
Não faz diferença





falecom@openhaus.com.br


14/Out/2015 - 23:36
‘O POVO JÁ ME ABSOLVEU’, AFIRMA EX-PREFEITA BENICE

A ex-prefeita Benice Maia (PSDB) diz esperar que a Justiça comporte-se como o povo de Itapagipe e a absolva de todos os processos de improbidade administrativa que ela responde, especialmente o que apura superfaturamento de até 1000% em compras para a Saúde, realizadas em 2010. Benice considera-se inocentada pelo povo de Itapagipe com base no resultado das eleições de 2012. A esposa do ex-deputado Zé Maia (PSDB) encara o pleito eleitoral comO um julgamento e avitória de Dirlei Barbosa (PSDB), candidato dela ao cargo de prefeito, como uma sentença, que atesta sua inocência.

 

Esse sentimento foi expresso pela ex-mandatária de Itapagipe em nota encaminhada ao site Alô Frutal, onde Benice defende-se das acusações do Ministério Público ajuizadas no último dia 29 de setembro. ?A população já nos absolveu e condenou os acusadores?, escreveu ela. Em outro trecho ela explica o termo ?condenou osacusadores?. ?[...] dos cinco vereadores, quatro não se reelegeram e nós fizemos o sucessor [Dirlei]?.

 

Os cinco vereadores acusadores são Nágila Maluf, candidata a vice-prefeita na chapa de Jero, que perdeu para Dirlei por 26 votos; Adriano Morais eTeotônio Sabino, que não foram reeleitos vereador; Orides Barbosa, que foi reeleito e se aliou aos tucanos; e César Castro, que nem disputou a eleição.

 

Benice parece ter dificuldade em entender que quem formulou a denúncia à justiça não foi nenhum político ou vereador ou ex-vereador, mas o promotor de Justiça, que não é candidato a nada. Finge desconhecer também que quem mandou bloquear seus bens foi o juiz de Direito, que também não tem pretensão nenhuma de disputar eleição com ela.

 

No fim da nota, a ex-prefeita, que ao que consta, alçou vôo e foi aventurar-se com o marido Ze Maia na política ituramense, diz esperar que a Justiça faça o mesmo que a população de Itapagipe e a absolva das acusações. E, para encerrar, blasfemou: ?Eu continuo acreditando na justiça, especialmente a divina?. Será mesmo?